Culto Dominical – II Domingo do Tempo Comum – ano A

(A liturgia foi elaborada da forma mais completa possível podendo ser adaptada a realidade de cada comunidade local.)

Modelo de culto para a celebração do II Domingo do Tempo Comum ou II Domingo após Epifania.

(O = Oficiante C = Congregação = Todos L = Leitor M = Ministro)

Ritos Iniciais ou Liturgia da Acolhida

SINOS e/ou PRELÚDIO MUSICAL – Glórias (Wellerson Cassimiro)

INTRÓITO CANTADO – hino n° 100 HNC – slides (100-LOUVORES A CRISTO)

SAUDAÇÃO INICIAL E AVISOS COMUNITÁRIOS

CANTO DE ENTRADA (PROCESSIONAL) – hino n° 28 HNC – slides (28-COROAÇÃO)

O = Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

C = Amém.

O = Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro?

C = O nosso socorro está em o nome do Senhor, criador dos céus e da terra.

SENTENÇA BÍBLICA

O = Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos.

C = Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas!

DOXOLOGIA – hino n° 6 HNC – slides (06-DOXOLOGIA)

COLETA INTRODUTÓRIA (oração em favor do culto)

O = Oremos. Deus Todo-Poderoso, para quem todos os corações estão abertos, todos os desejos conhecidos e para quem nada está em segredo; purifica os pensamentos de nossos corações pela inspiração do teu Santo Espírito, para que possamos amar-te perfeitamente, e dignamente engrandecer teu nome. Por Cristo Jesus, Nosso Senhor.

C = Amém.

CHAMADA À CONTRIÇÃO

SUMÁRIO DA LEI

O = Escutai o que diz o nosso Senhor Jesus Cristo: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a Lei e os Profetas.

O = Senhor, tem misericórdia de nós.

C = Cristo, tem misericórdia de nós.

T = Senhor, tem misericórdia de nós.

CANTO DE CONTRIÇÃO – hino n° 76 HNC – slides (76-COMPAIXÃO)

CONFISSÃO PÚBLICA DE PECADOS

Confessamos a ti, ó Deus Todo-Poderoso, perante vós, nossos irmãos, e toda a companhia dos céus, que temos pecado excessivamente, contra ti, contra nosso próximo e contra nós mesmos, por nossas ações, por nossa omissão, em nossas palavras ou em nossos pensamentos; por nossa culpa, nossa própria culpa, nossa tão grande culpa. Rogamos-te, ó Deus, que nos conceda verdadeiro arrependimento e, por amor do teu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, perdoa-nos os pecados e dá-nos a graça de te servirmos com alegria, para a honra e glória do teu santo nome, amém.

CONFISSÃO INDIVIDUAL SILENCIOSA

ABSOLVIÇÃO

O = Nosso Deus de bondade e de misericórdia, que entregou o teu Filho para perdão de nossos pecados, promete-o aos que os confessarem com arrependimento e fé. Assim sendo, que o Senhor tenha misericórdia de vós, perdoe os vossos pecados e vos conduza para a vida eterna.

C = Amém.

CANTO DE REDENÇÃO – hino n° 77 HNC – slides (77-DIVINO PERDÃO)

Liturgia da Palavra

 COLETA DO DIA

O = O Senhor esteja convosco.

C= Seja também contigo.

O = Oremos […]

C = Amém.

PRIMEIRA LEITURA

O ou L =  A Palavra do Senhor conforme o Livro do profeta Isaías, capítulo 49, versos 1 ao 7.

(leitura)

O ou L = Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus.

SALMO

Antífona: Proclamarei as boas-novas de justiça na grande congregação; jamais
cerrei os lábios, tu o sabes, Senhor. (Sl 40.9)

40.1-11 ou cantado  – slides (Salmo 40), ou anida esta versão Salmo 39 (40).

GLÓRIA PATRI (hino n° 005) – slides (05-TRINDADE ADORADA)

SEGUNDA LEITURA

O ou L = A Palavra do Senhor conforme a Epístola de São Paulo aos Coríntios, capítulo 1, versos 1 ao 9.

(leitura)

O ou L =  Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus

ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO – Aleluia

O ou L: O Senhor me disse: Israel, você é o meu servo, e por meio de você serei glorificado. (Is 49.3)

O ou L = O Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo relato de São João, apóstolo e evangelista, capítulo 1, versos 29 ao 42.

C = Glória ao Senhor agora e para sempre!

(Leitura do Evangelho)

O ou L = O Evangelho é o poder de Deus para Salvação.

C = Glória a Ti Senhor!

ORAÇÃO POR ILUMINAÇÃO (ao final desta oração segue-se a Oração Dominical caso não haja celebração da Ceia ou Batismo)

O = [..] Em nome de Jesus Cristo que nos ensinou a orar dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

SERMÃO

CANTO PRÓPRIO – hino n° 386 HNC – slides (386-TESTEMUNHO)

CONFISSÃO DE FÉ

Credo Apostólico

T = Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso Criador do Céu e da Terra.

Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu ao Hades; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu e está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso, de onde há de vir para julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém.

ORAÇÃO DOS FIÉIS – (caso não haja celebração da Ceia do Senhor ou do Santo Batismo, segue-se para os ritos finais).

 

Liturgia Eucarística

SAUDAÇÃO DA PAZ

O = A paz do Senhor seja sempre convosco!

C = Seja também contigo.

O = Saudemo-nos com a paz do Senhor.

CONVITE A AÇÃO DE GRAÇAS E OFERTÓRIO – hino n° 57 HNC  – slides (57-FONTE DE TODO BEM)

DIÁLOGO E SURSUM CORDA

M = O Senhor esteja convosco.

C = E também contigo.

M = Elevemos os corações.

C = Ao Senhor os elevamos.

M = Damos graças ao Senhor nosso Deus.

C = Pois fazê-lo é justo e bom.

PREFÁCIO EUCARÍSTICO

M = É verdadeiramente justo e digno e nossa maior alegria, que rendamos, sempre e em todo o lugar, glórias, honras e louvores a ti, ó Senhor, Pai Santo, Deus Eterno e Todo-Poderoso.  Portanto, com os Anjos e os Arcanjos, com os Patriarcas e os Profetas, com os Santos Apóstolos, os Mártires e os Doutores da Igreja, e com teus eleitos de todas as eras e lugares, unimos nossas vozes ao coro celestial, que não cessa de louvar teu nome, cantando:

T = Santo, santo, santo é o Senhor, Deus dos exércitos; toda a terra está cheia da tua glória. Ou pode ser cantado o hino n° 012 – slides (12-GLÓRIA À DEUS) 

M = Hosana nas alturas!

C = Bendito o que vem em nome do Senhor!

T = Hosana nas maiores alturas!

ANAMNESE

M = Toda a glória e ação de graças sejam dadas a ti, ó Senhor, Deus Todo-Poderoso, pois tu, em tua terna misericórdia, enviaste teu único Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, para sofrer a morte sobre a Cruz para a nossa redenção, oferecendo, de uma vez por todas, sacrifício perfeito e suficiente para o perdão de pecados de toda a humanidade. Graças de damos ainda  pois, estando à véspera de se entregar para a nossa salvação, o Senhor instituiu o Sacramento do Pão e do Vinho, para que celebrássemos a comunhão de seu Corpo e Sangue, em memória de seu sacrifício, o qual agora nos achegamos à tua Santa Mesa para celebrar.

A INSTITUIÇÃO, A FRAÇÃO DO PÃO E A CONSAGRAÇÃO DO CÁLICE.

M = Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, o partiu e disse: isto é o meu corpo, que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

M= Por semelhante modo, depois de haver dado ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

A EPÍCLISE

M = Envia sobre nós, Senhor, o teu Santo Espírito, e santifica estas ofertas de pão e vinho, de modo que ao participarmos da tua Santa Ceia, cumpra-se a tua bendita Palavra, e partilhemos verdadeiramente da comunhão do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O MISTÉRIO DA FÉ

M = Pois nisto consiste o mistério da nossa fé, o motivo da nossa esperança:

T = Todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos a morte e a ressurreição do Senhor, até que ele venha.

ORAÇÃO DO SENHOR

M = E confiados nesta fé, nós oramos como nosso Senhor nos ensinou, dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

DOXOLOGIA FINAL E AMÉM

M = Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a ti, Deus Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, sejam dadas toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

C = Tríplice Amém

COMUNHÃO DO PÃO E DO CÁLICE

M = O pão que partimos é a comunhão do Corpo de Cristo.

C = Amém.

M = O cálice que abençoamos é a comunhão do Sangue de Cristo.

CANTOS DA COMUNHÃO E PÓS-COMUNHÃO – Vinho e Pão – slides (Vinho e Pão) / hino n° 295 – slides (295-A VOLTA DE JESUS)

ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS PELA COMUNHÃO

M ou Presbítero = Graças te rendemos de todo o coração, ó Senhor, nosso Deus, pela comunhão do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, que tu comunicas a nós pelo Sacramento da Eucaristia, que é a Santa Ceia do Senhor. Por tua grande misericórdia, preserva-nos na comunhão dos teus santos eleitos, de modo que possamos perseverar nas boas obras as quais tu preparastes para que andássemos nelas e, ao final de nossos dias terrenos, alcancemos com eles a glória que tu tens preparada para seus para os teus. Por Cristo Jesus, Nosso Senhor.

C = Amém.

 

Ritos Finais ou Liturgia de Despedida e Envio

ORAÇÃO PASTORAL DE ENVIO E BÊNÇÃO

M = A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós. E assim abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, hoje e por todo o sempre.

C = Quádruplo Amém

CANTO DE ENVIO –  hino n° 399 HNC – slides (399-TÉRMINO DO CULTO)

POSLÚDIO E RECESSIONAL – Poslúdio

O = Ide em paz, para serdes testemunhas de Jesus Cristo, e que o Senhor vos abençoe e vos acompanhe.

C= Graças a Deus! 

 

Liturgia extraída do Manual do Culto – Ordem para o Culto Público, Rito 1 e do Rito para Iniciação Cristã (Sociedade Pela Liturgia Reformada).

Culto Dominical – Domingo do Batismo do Senhor (I Dom. após Epifania) – ano A

(A liturgia foi elaborada da forma mais completa possível podendo ser adaptada a realidade de cada comunidade local.)

Modelo de culto para a celebração do Batismo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

(O = Oficiante C = Congregação = Todos L = Leitor M = Ministro)

 

Ritos Iniciais ou Liturgia da Acolhida

SINOS e/ou PRELÚDIO MUSICAL – hino n° 331 HNC

INTRÓITO CANTADO – Jesus se Dirigiu para as Águas do Jordão – slides (Jesus se Dirigiu para as Águas do Jordão) – Partitura e Cifra – Jesus se dirigiu

SAUDAÇÃO INICIAL E AVISOS COMUNITÁRIOS

CANTO DE ENTRADA (PROCESSIONAL) – hino n° 46 HNC – slides (46-ALTOS LOUVORES)

SAUDAÇÃO TRINITÁRIA E VOTO

O = Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

C = Amém.

O = Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro?

C = O nosso socorro está em o nome do Senhor, criador dos céus e da terra.

SENTENÇA BÍBLICA

O = Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos.

C = Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; narrai todas as suas maravilhas!

DOXOLOGIA – hino n° 36 HNC – slides (36-EXALTAÇÃO)

COLETA INTRODUTÓRIA (oração em favor do culto)

O = Oremos. Deus Todo-Poderoso, para quem todos os corações estão abertos, todos os desejos conhecidos e para quem nada está em segredo; purifica os pensamentos de nossos corações pela inspiração do teu Santo Espírito, para que possamos amar-te perfeitamente, e dignamente engrandecer teu nome. Por Cristo Jesus, Nosso Senhor.

C = Amém.

CHAMADA À CONTRIÇÃO

SUMÁRIO DA LEI

O = Escutai o que diz o nosso Senhor Jesus Cristo: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a Lei e os Profetas.

O = Senhor, tem misericórdia de nós.

C = Cristo, tem misericórdia de nós.

T = Senhor, tem misericórdia de nós.

CANTO DE CONTRIÇÃO – hino n° 74 HNC – slides (74-SINCERIDADE)

CONFISSÃO PÚBLICA DE PECADOS

Confessamos a ti, ó Deus Todo-Poderoso, perante vós, nossos irmãos, e toda a companhia dos céus, que temos pecado excessivamente, contra ti, contra nosso próximo e contra nós mesmos, por nossas ações, por nossa omissão, em nossas palavras ou em nossos pensamentos; por nossa culpa, nossa própria culpa, nossa tão grande culpa. Rogamos-te, ó Deus, que nos conceda verdadeiro arrependimento e, por amor do teu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, perdoa-nos os pecados e dá-nos a graça de te servirmos com alegria, para a honra e glória do teu santo nome, amém.

CONFISSÃO INDIVIDUAL SILENCIOSA

ABSOLVIÇÃO

O = Nosso Deus de bondade e de misericórdia, que entregou o teu Filho para perdão de nossos pecados, promete-o aos que os confessarem com arrependimento e fé. Assim sendo, que o Senhor tenha misericórdia de vós, perdoe os vossos pecados e vos conduza para a vida eterna.

C = Amém.

CANTO DE REDENÇÃO – hino n° 42 HNC – Slides (42-O GRANDE AMOR DE DEUS)

 

Liturgia da Palavra

 COLETA DO DIA

O = O Senhor esteja convosco.

C= Seja também contigo.

O = Oremos […]

C = Amém.

PRIMEIRA LEITURA

O ou L =  A Palavra do Senhor conforme o Livro do profeta Isaías, capítulo 42, versos 1 ao 9.

(leitura)

O ou L = Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus.

SALMO

Antífona: Ouve-se a voz do Senhor sobre as águas; troveja o Deus da glória; o Senhor
está sobre as muitas águas. (Sl 29.3)

29 ou cantado Salmo 29 S.R. – slides (Salmo 29), ou anida esta versão Salmo (28) 29.

GLÓRIA PATRI (hino n° 005) – slides (05-TRINDADE ADORADA)

SEGUNDA LEITURA

O ou L = A Palavra do Senhor conforme os Atos dos Apóstolos, capítulo 10, versos 34 ao 43.

(leitura)

O ou L =  Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus

ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO – Buscai Primeiro – slides (Buscai Primeiro)

O ou L: Depois que Jesus foi batizado, ouviu-se uma voz dos céus: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo. (Mc 1.11)

O ou L = O Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo relato de São Mateus, evangelista, capítulo 3, versos 13 ao 17.

C = Glória ao Senhor agora e para sempre!

(Leitura do Evangelho)

O ou L = O Evangelho é o poder de Deus para Salvação.

C = Glória a Ti Senhor!

ORAÇÃO POR ILUMINAÇÃO (ao final desta oração segue-se a Oração Dominical caso não haja celebração da Ceia ou Batismo)

O = [..] Em nome de Jesus Cristo que nos ensinou a orar dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

SERMÃO

RENOVAÇÃO COMUNITÁRIA DOS VOTOS BATISMAIS

MONIÇÃO INTRODUTÓRIA

M = Caríssimos irmãos; nesta ocasião solene, temos a oportunidade de apresentarmo-nos diante de Deus, nosso Senhor, e renovarmos nossos compromissos para com ele, os quais foram outrora firmados em nosso Batismo. É oportunidade para meditarmos sobre a forma com a qual cada um de nós tem conduzido sua vida, se de conformidade com os princípios que esposamos em nossos votos, ou se de forma displicente, atraindo sobre nós o juízo da ira de Deus contra nossos pecados. Aproveitemos esta ocasião para buscar, de agora em diante e por toda a duração de nossas vidas, pautar-nos por esses princípios e votos, os quais agora reafirmaremos.

INVOCAÇÃO E SENTENÇAS BÍBLICAS Ef. 4.4-6; At. 2.39, I Pe. 2.9

M = Bendito seja Deus, † Pai, Filho e Espírito Santo.

C = Bendito seja o seu Reino, agora e para sempre.

M Há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo;

C = Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos.

M = Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus,

C = A fim de proclamarmos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.

COLETA

M = Oremos. Pai Celestial, que pelo poder de teu Santo Espírito concedes aos teus santos a vida por meio da água do Batismo; guia-nos e fortalece-nos por este mesmo Espírito, para que nós, nascidos de novo, possamos servir-te em fé e amor, e crescer até a plena estatura de teu Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, o qual vive e reina contigo e o Espírito Santo, um só Deus, hoje e pelos séculos dos séculos.

T = Amém.

PROFISSÃO DE FÉ

M = É o vosso desejo reafirmar neste dia os votos outrora feitos em vosso Batismo, renovando vosso compromisso de vida para com Deus e para com a sua Santa Igreja?

C = Sim.

M = Renunciais ao mal e a todas as suas obras, que se rebelam contra Deus, corrompem e destroem sua criação e nos afastam do amor do Senhor?

C = Renuncio.

Ministro: Confessais à Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, como o único Deus; a Jesus Cristo como único e suficiente Senhor e Salvador de vossas vidas, depositando nele, e nele somente, a vossa fé, esperança e adoração, mediante seu Espírito Santo, para a glória de Deus Pai?

C = Assim o faço, pela graça de Deus.

CREDO

M = Na unidade da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, confessemos juntos a fé cristã, na qual fomos um dia batizados renovando também a nossa aliança batismal nas palavras do Credo Niceno. Credes em Deus Pai?

C = Creio em um só Deus, o Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis.

M = Credes em Jesus Cristo?

C = Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todas as eras: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado; consubstancial ao Pai. Por ele, todas as coisas foram feitas. E por nós, os homens, e para a nossa salvação, desceu dos Céus e se encarnou, pelo Espírito Santo, no seio da virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos, padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai. De novo há de vir em sua glória para julgar os vivos e os mortos, e o seu Reino não terá fim.

M = Credes no Espírito Santo?

C =  Creio no Espírito Santo, o Senhor e doador da vida, que procede do Pai e do Filho, e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele, que falou pelos Profetas.

M = Credes na Igreja?

C = Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para a remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.

VOTOS BATISMAIS

M = Vós vos comprometeis a permanecer firmes na fé que acabastes de professar, a buscar ampliar dela o vosso conhecimento, em particular e com esta comunidade de fé, no estudo das Sagradas Escrituras e nas obras de piedade, e a proclamar esta fé, anunciando-a com vossas palavras e com vosso testemunho de vida, com a ajuda de Deus?

C = Sim, com a ajuda de Deus.

M = Vós vos comprometeis a participar ativamente desta comunidade de fé, promovendo a sua união e comunhão e em tudo buscando a paz, a unidade e a edificação do Corpo de Cristo, suportando-a com as vossas orações e com o vosso trabalho, com a ajuda de Deus?

C = Sim, com a ajuda de Deus.

M = Vós vos comprometeis a vos submeterdes ao governo e disciplina desta Igreja, acatando-os enquanto fiéis ao espírito das Sagradas Escrituras, dos Símbolos de Fé e de sua Constituição?

C = Sim, com a ajuda de Deus.

M = É de livre e espontânea vontade que fazeis estes votos?

C = Sim, esta é a minha vontade.

PREPARAÇÃO DA PIA BATISMAL – Durante um canto de temática batismal, ou mesmo em silêncio, a Pia Batismal será descober-ta, se for o caso, e então um presbítero, diácono ou acólito, trará uma jarra ou outro recipiente com água. O Ministro, tomando dela, a despejará sobre a Pia Batismal. 

AÇÃO DE GRAÇAS E CONSAGRAÇÃO

M = O Senhor esteja convosco.

C = Seja também contigo.

M = Elevemos os corações.

C = Ao Senhor os elevamos.

M = Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

C = Pois fazê-lo é justo e digno.

M = É verdadeiramente justo e digno rendermos-te graças sempre e em todo lugar a ti, ó Senhor, nosso Deus, porquanto, em teu santo Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, nos adotaste como teus filhos, fizeste-nos cidadãos do teu Reino; e nos concedeste o Espírito Santo, para nos guiar e dirigir a toda a verdade.

Graças te damos, ainda, pela dádiva da água. Pois no princípio, quando criaste os céus e a terra, teu Santo Espírito se movia por sobre ela; pois com ela, salvaste a terra do mal no Dilúvio; pois nela, deste vitória ao teu povo escolhido, conduzindo-o através do mar e nele derrotando aqueles que a ti se opunham; com ela, no Rio Jordão, teu santo Filho foi batizado, e assim foi revelado pelo Espírito Santo ao mundo, e ungido teu Cristo.

Por sua morte e ressurreição, Nosso Senhor Jesus Cristo, a Água da Vida, nos libertou do pecado e da morte e nos abriu as portas da vida eterna. Graças te damos, ó Deus, pela água do Batismo, pela qual somos sepultados com Cristo na sua morte, participamos da sua ressurreição e renascemos no Espírito Santo, lavados e purificados do pecado.

PALAVRAS DA INSTITUIÇÃO – Mt. 28.18-20

M = Pois estando Nosso Senhor Jesus Cristo, já ressurreto, reunido com seus discípulos, assim lhes ordenou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.”

EPÍCLESE E DOXOLOGIA – O Ministro prossegue, impondo as mãos sobre a água, dizendo ou cantando:

M = Envia sobre nós, portanto, o teu Santo Espírito, ó Senhor, e † santifica esta água, de modo que, ao ser aspergida sobre estes teus servos, tu faças arder e refulgir nos corações de cada um o primeiro amor outrora suscitado por ti, e assim perseverem na vida abundante que é dada por Jesus Cristo, Nosso Senhor, a quem, contigo e o Espírito Santo, sejam toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

C = Amém.

ASPERSÃO – O Ministro poderá tomar da água da Pia Batismal e aspergi-la sobre a congregação. Enquanto isso, um canto de temática batismal ou referente à comunhão cristã poderá ser entoado. – cantoCorpo e Família

SUFRÁGIO

M = Oremos. Senhor Deus, nosso Pai, Criador do céu e da terra, rendemos-te graças porque, por obra do teu Espírito Santo, estes teus filhos renasceram, foram adotados por ti para uma nova vida e recebidos na comunidade da tua Santa Igreja. Concede que eles cresçam na fé em que foram outrora batizados, e se desenvolvam em tudo quanto pertence ao Espírito. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor.

C = Amém.

BÊNÇÃO – Is. 11.2 (Impondo suas mãos sobre a congregação, o Ministro impetrará a seguinte bênção:)

M = Sustenta, ó Senhor, estes teus filhos por teu Santo Espírito. Concede-lhes o Espírito de sabedoria e de entendimento; o Espírito de conselho e de fortaleza; o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor. Faz-lhes crescer, cada dia mais, no teu Santo Espírito, até que venha o teu Reino Eterno.

C = Amém.

ORAÇÃO DOS FIÉIS – (caso não haja celebração da Ceia do Senhor ou do Santo Batismo, segue-se para os ritos finais).

 

Liturgia Eucarística

SAUDAÇÃO DA PAZ

O = A paz do Senhor seja sempre convosco!

C = Seja também contigo.

O = Saudemo-nos com a paz do Senhor.

CONVITE A AÇÃO DE GRAÇAS E OFERTÓRIO – hino n°62 HNC – slides (62-HINO DE GRATIDÃO)

DIÁLOGO E SURSUM CORDA

M = O Senhor esteja convosco.

C = E também contigo.

M = Elevemos os corações.

C = Ao Senhor os elevamos.

M = Damos graças ao Senhor nosso Deus.

C = Pois fazê-lo é justo e bom.

PREFÁCIO EUCARÍSTICO

M = Pois, ao ser batizado por João nas águas do Rio Jordão, Nosso Senhor Jesus Cristo tomou lugar entre os pecadores, e a tua voz o proclamou como teu Filho. Como pomba, teu Santo Espírito desceu sobre ele, ungindo-o teu Cristo, para trazer boas novas aos pobres, proclamar libertação aos cativos, restaurar a vista dos cegos e restaurar os oprimidos. Portanto, com os Anjos e os Arcanjos, com os Patriarcas e os Profetas, com os Santos Apóstolos, os Mártires e os Doutores da Igreja, e com teus eleitos de todas as eras e lugares, unimos nossas vozes ao coro celestial, que não cessa de louvar teu nome, cantando:

T = Santo, santo, santo é o Senhor, Deus dos exércitos; toda a terra está cheia da tua glória. Ou pode ser cantado o hino n° 012 – slides (12-GLÓRIA À DEUS) 

M = Hosana nas alturas!

C = Bendito o que vem em nome do Senhor!

T = Hosana nas maiores alturas!

ANAMNESE

M = Toda a glória e ação de graças sejam dadas a ti, ó Senhor, Deus Todo-Poderoso, pois tu, em tua terna misericórdia, enviaste teu único Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, para sofrer a morte sobre a Cruz para a nossa redenção, oferecendo, de uma vez por todas, sacrifício perfeito e suficiente para o perdão de pecados de toda a humanidade. Graças de damos ainda  pois, estando à véspera de se entregar para a nossa salvação, o Senhor instituiu o Sacramento do Pão e do Vinho, para que celebrássemos a comunhão de seu Corpo e Sangue, em memória de seu sacrifício, o qual agora nos achegamos à tua Santa Mesa para celebrar.

A INSTITUIÇÃO, A FRAÇÃO DO PÃO E A CONSAGRAÇÃO DO CÁLICE.

M = Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, o partiu e disse: isto é o meu corpo, que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

M= Por semelhante modo, depois de haver dado ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

A EPÍCLISE

M = Envia sobre nós, Senhor, o teu Santo Espírito, e santifica estas ofertas de pão e vinho, de modo que ao participarmos da tua Santa Ceia, cumpra-se a tua bendita Palavra, e partilhemos verdadeiramente da comunhão do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O MISTÉRIO DA FÉ

M = Pois nisto consiste o mistério da nossa fé, o motivo da nossa esperança:

T = Todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos a morte e a ressurreição do Senhor, até que ele venha.

ORAÇÃO DO SENHOR

M = E confiados nesta fé, nós oramos como nosso Senhor nos ensinou, dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

DOXOLOGIA FINAL E AMÉM

M = Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a ti, Deus Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, sejam dadas toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

C = Tríplice Amém

COMUNHÃO DO PÃO E DO CÁLICE

M = O pão que partimos é a comunhão do Corpo de Cristo.

C = Amém.

M = O cálice que abençoamos é a comunhão do Sangue de Cristo.

CANTOS DA COMUNHÃO E PÓS-COMUNHÃO – Eu sou o Pão da Vida – slides (Eu Sou o Pão da Vida) / Jesus Virá – slides (Jesus virá)

ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS PELA COMUNHÃO

M ou Presbítero = Graças te rendemos de todo o coração, ó Senhor, nosso Deus, pela comunhão do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, que tu comunicas a nós pelo Sacramento da Eucaristia, que é a Santa Ceia do Senhor. Por tua grande misericórdia, preserva-nos na comunhão dos teus santos eleitos, de modo que possamos perseverar nas boas obras as quais tu preparastes para que andássemos nelas e, ao final de nossos dias terrenos, alcancemos com eles a glória que tu tens preparada para seus para os teus. Por Cristo Jesus, Nosso Senhor.

C = Amém.

 

Ritos Finais ou Liturgia de Despedida e Envio

ORAÇÃO PASTORAL DE ENVIO E BÊNÇÃO

M = A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós. E assim abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, hoje e por todo o sempre.

C = Quádruplo Amém

CANTO DE ENVIO – hino n° 398 HNC – slides (398-OUTRA VEZ CANTAMOS)

POSLÚDIO E RECESSIONAL – Deus dos Antigos 

O = Ide em paz, para serdes testemunhas de Jesus Cristo, e que o Senhor vos abençoe e vos acompanhe.

C= Graças a Deus! 

 

Liturgia extraída do Manual do Culto – Ordem para o Culto Público, Rito 1 e do Rito para Iniciação Cristã (Sociedade Pela Liturgia Reformada).

Liturgia – Véspera de Ano Novo – ano A

Sugestão de Celebração para o Ano Novo
Liturgia originalmente elaborada pelo Rev. Edson Cortásio Sardinha, Igreja Metodista de Vila Isabel, e revisada pelo autor do blog para o uso do HNC e das igrejas presbiterianas, a liturgia completa e original proposta pelo Rev. Edson, encontra-se em um link ao final da postagem.

Essa é uma sugestão para que você celebre o Ano Novo na igreja ou em sua casa. Leia a sugestão e planeje a melhor maneira de celebrar. Analise a realidade da sua igreja local e faça as adaptações necessárias. Boa celebração e Feliz Ano Novo! – Rev. Edson

(O = Oficiante C = Congregação = Todos L = Leitor M = Ministro)

Ritos Iniciais ou Liturgia da Acolhida

Processional – Uma pessoa entrará com um buquê de flores – ou flores em um cesto (se possível, fazer um buquê com vários tipos e cores de flores – representando a variedade de bênçãos do ano que passou). Fazer o processional ao som instrumental de um hino de ação de graças: hino n° 56.

O = Este buquê representa as bênçãos de Deus, recebidas por todos nós, durante o ano que termina. Mesmo em meio às lutas contemplamos a graça de Deus nos acolhendo e sustentando. Cada flor significa as bênçãos que o Senhor Jesus nos deu. Somos gratos/as. Louvamos o nome do Senhor, agora e para sempre. Terminamos este ano com hino de louvor e Ações de graças.

hino n° 61 – (61-AÇÕES DE GRAÇAS) slides. – (sugerimos o cântico abaixo, mas se desejar opte por outro, mas preserve a temática da gratidão). Enquanto canta-se a música, cada pessoa poderá receber uma flor, se isso ficar dispendioso para igreja, sugerimos que cada pessoa receba um marcador de Bíblia.

GRATIDÃO PELOS PROJETOS REALIZADOS EM 2013

ORAÇÃO
T = Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o reino; tu estás acima de tudo. A riqueza e a honra vêm de ti; tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos. Agora, nosso Deus, damos-te graças, e louvamos o teu glorioso nome. (1 Crônicas 29:11-13).

CONFISSÃO

CHAMADA A CONFISSÃO

O = Jesus disse: “Arrependei-vos, pois é chegado o Reino de Deus”. Convertamo-nos de nossos pecados a Cristo, confessando-os com fé e certeza de perdão.

CANTO DE CONTRIÇÃO – hino n° 71 – (71-PERDÃO) – slides

REFLEXÃO E ORAÇÃO SILENCIOSA

ORAÇÃO COMUNITÁRIA

T = Senhor Deus, termina este ano e confessamos com sinceridade de coração. Recebemos muitas bênçãos, mas temos pecado contra Ti; temos feito muito mal na tua presença. Nós nos arrependemos. Tem misericórdia de nós por teu amor. Lava-nos de nossa culpa e purifica-nos de nossos pecados. Renova em nós um espírito reto neste novo ano e restaura a alegria de tua salvação em cada área de nossa vida. Pedimos por Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.

PALAVRA DA ESPERANÇA (ABSOLVIÇÃO)

O = Que o Pai das misericórdias nos purifique de nossos pecados, e restaure em nós a sua imagem para o louvor e glória de seu nome neste novo ano, por Cristo nosso Senhor.

C = Amém

CANTO DE REDENÇÃO – hino n° 49 – (49-SEMPRE VENCENDO) – slides

DECLARAÇÃO DE LOUVOR

O = Bendirei o Senhor o tempo todo!
C= Os meus lábios sempre o louvarão. (Salmos 34:1)

ORAÇÕES DE GRATIDÃO

Sugerimos que nesse momento cante-se o hino n° 63 – (63-AS MUITAS BÊNÇÃOS) – slides. Ao final de cada estrofe e refrão uma pessoa orará agradecendo a Deus por uma benção recebida.

ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO

O = Deem graças ao Senhor porque ele é bom;
C = o seu amor dura para sempre. Salmos 107.1.
T = Comemorarão a tua imensa bondade e celebrarão a tua justiça. Salmos 145.7.
O = Cantem ao Senhor com ações de graças; ao som da harpa façam música para o nosso Deus. Salmos 147.7.

OPORTUNIDADES: Coral / grupos/ duetos/ solo/ testemunhos.

Liturgia da Palavra

 COLETA DO DIA

O = O Senhor esteja convosco.

C= Seja também contigo.

O = Oremos […]

C = Amém.

PRIMEIRA LEITURA

O ou L =  A Palavra do Senhor conforme o Livro do Eclesiástes, capítulo 3, versos 1 ao 3.

(leitura)

O ou L = Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus.

SALMO – 8 ou cantado – (Salmo 8 – Saltério Reformado) slides ou ainda o cântico “O Jeová/Javé Senhor Nosso” – (Salmo 8 Ó Jeová Senhor nosso) – slides

GLÓRIA PATRI (hino n° 005) – (05-TRINDADE ADORADA) – slides

SEGUNDA LEITURA

O ou L = A Palavra do Senhor conforme o Livro Apocalipse de São João, capítulo 21, versos 1 ao 6a.

(leitura)

O ou L =  Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus

ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO – hino n° 25 – (25-O CRIADOR DE TUDO) – slides

O =  Tu, Senhor, me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão. (Sl 139.5)

O ou L = O Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo relato de São Mateus, apóstolo e evangelista, capítulo 25, versos 31 ao 46.

C = Glória ao Senhor agora e para sempre!

(Leitura do Evangelho)

O ou L = O Evangelho é o poder de Deus para Salvação.

C = Glória a Ti Senhor!

ORAÇÃO POR ILUMINAÇÃO (ao final desta oração segue-se a Oração Dominical caso não haja celebração da Ceia ou Batismo)

O = […] em nome de Jesus Cristo que nos ensinou a orar dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

Palavra especial às crianças:
Antes do sermão, reúna as crianças no altar e converse com elas sobre o tema do culto, pergunte-as sobre o que gostariam de agradecer a Deus. Tenha um tempo de interação com elas, se possível apresente-as o tema do sermão. Ao final peça para que uma criança ore e em seguida ore por todas as crianças da Igreja.

SERMÃO

CANTO PRÓPRIO – hino n° 373 – (373-ANO NOVO) – slides

CONFISSÃO DE FÉ

Credo Apostólico

T = Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso Criador do Céu e da Terra.

Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu ao Hades; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu e está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso, de onde há de vir para julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém.

ORAÇÃO DOS FIÉIS – (caso não haja celebração da Ceia do Senhor ou do Santo Batismo, segue-se para os ritos finais).

MOMENTO DA PASSAGEM DO ANO: 23h50

INTERCESSÃO PELO NOVO ANO: Oração de joelhos/ assentados intercedendo pela passagem do ano: Oração individual / em pequenos grupos / em grupos familiares.

CONFRATERNIZAÇÃO ENTRE OS IRMÃOS: Feliz ano novo!

Liturgia dos Sacramentos

SAUDAÇÃO DA PAZ

O = A paz do Senhor seja sempre convosco!

C = Seja também contigo.

O = Saudemo-nos com a paz do Senhor.

CONVITE A AÇÃO DE GRAÇAS E OFERTÓRIO

O = Cumprirei os votos que te fiz, ó Deus;

C = A ti apresentarei minhas ofertas de gratidão. Salmos 56:12

M = O momento do ofertório representa nossa gratidão e louvor a Deus por tudo que Ele é e tem realizado em nossa vida. Simboliza também nossa oração e consagração. Com nossos dízimos e ofertas consagramos nosso trabalho, nossa família e nossa vida ao Senhor. A oferta do final do ano tem um forte simbolismo de Ação de Graças. Quantas bênçãos recebemos de Deus? Quão pouco agradecemos! Que nossa oferta e dízimos expressem esta gratidão pelo sustento e fidelidade do Senhor.

C = Louvarei o nome de Deus com cânticos e proclamarei sua grandeza com ações de graças.

CANTO DO OFERTÓRIO – hino n° 179 – (179-SAUDAÇÃO) – slides

CEIA DO SENHOR

O = Amados irmãos e irmãs, o Senhor Deus onipotente, nosso Pai Celestial, entregou Jesus Cristo, seu unigênito Filho, à morte de Cruz para a nossa redenção. E o Senhor, pela oferta de si mesmo, feita uma só vez, fez um sacrifício pleno, perfeito e suficiente pelos pecados de toda humanidade; e instituiu perpétua recordação de sua morte, ordenando-nos, em seu Evangelho, que a continuemos até a sua segunda vinda. Portanto, agradecidos, consagremo-nos a Deus em resposta ao seu amor.

LITANIA DE AÇÃO DE GRAÇAS:

M = Elevai os vossos corações.
C = Ao Senhor os elevamos.
M = Demos graças ao Senhor Nosso Deus.
C = Assim fazê-lo é digno e justo.
M = É verdadeiramente digno, justo e de nosso estrito dever que, em todos os tempos e lugares, te rendamos graças, ó Senhor, santo Pai, Onipotente e eterno Deus. Portanto, louvamos e engrandecemos o teu glorioso nome, exaltando-te sempre e
dizendo:
T = Santo, Santo, Santo, Senhor Deus onipotente. Os céus e a terra estão cheios da tua glória. Glória te seja dada, ó Senhor Altíssimo. Amém

ORAÇÃO DE CONSAGRAÇÃO

M = Toda a glória seja a ti, ó Pai onipotente, Pai nosso Celestial! Obedientes à instituição de teu amado Filho, nosso Salvador Jesus Cristo, nós realizamos aqui, diante de tua divina majestade, o memorial que teu Filho nos mandou celebrar, tendo na lembrança sua bendita paixão e morte, sua poderosa ressurreição e ascensão, rendendo-te graças de todo coração pelos inumeráveis benefícios com que elas nos agraciam. E humildemente nós te suplicamos, ò Pai, que nos ouças com teu Filho Jesus Cristo, conceda-nos o Espírito Santo e, por tua infinita bondade, consagres os dons de pão e vinho para que, recebendo-os segundo a instituição de teu Filho, nós sejamos participantes do seu abençoado corpo e sangue, para todo o sempre. Amém.

ORAÇÃO DE HUMILDE ACESSO

T = Ó misericordioso Pai, nós humildemente te imploramos que nos santifiques com teu Espírito e abençoes as dádivas do Pão e Vinho, a fim de que o pão que vamos comer seja a comunhão do Corpo de Cristo e o Vinho que vamos beber seja a Comunhão do Sangue de Cristo. Concede-nos a graça de alcançar a unidade da fé e crescer em todas as coisas naquele que é o cabeça, Cristo, Nosso Senhor, a quem pertencem a honra, a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém.
MEMORIAL

M = Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

CONVITE

M = A Mesa está preparada e o Senhor ressurreto e presente convosco nos convida para celebrarmos a sua ceia. Acheguemo-nos, pois, com fé.

CANTO DA COMUNHÃO E PÓS-COMUNHÃO – hino n° 345 – slides (345-O PÃO DO MUNDO) / hino n° 293 – slides (293-O DIA GLORIOSO)

Ritos Finais ou Liturgia de Despedida e Envio

 CANTO DE ENVIO – hino n° 375slides (375-O ANO VELHO)

ORAÇÃO FINAL

T = Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje. E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal; pois teu é o Reino, e o poder, e a glória para sempre. Amém.

A BÊNÇÃO

M = Louvemos ao Senhor.
T = Agradeçamos sempre a Deus.
M = Ide na paz de Cristo! Sede corajosos/as e fortes no testemunho do Evangelho entre todas as pessoas. Servi ao Senhor com a alegria.
T = No poder do Espírito Santo. Aleluia!

C = Quádruplo Amém

POSLÚDIO E RECESSIONAL – hino n° 374 – slides (374-SAUDANDO O ANO NOVO)

Liturgia extraída em parte da sugestão Sugestão de Celebração do Ano Novo do Rev. Edson Cortásio Sardinha e  do Manual do Culto – Ordem para o Culto Público, Rito 1 (Sociedade Pela Liturgia Reformada).

Culto Dominical – III Domingo do Advento – ano A

Modelo de culto para o terceiro domingo do Advento – ano A.

(O = Oficiante C = Congregação = Todos L = Leitor M = Ministro)

Ritos Iniciais ou Liturgia da Acolhida

SINOS e/ou PRELÚDIO MUSICAL – “Jesus Alegria dos Homens”

INTRÓITO CANTADO

Gaudete (hino latino para o terceiro domingo do Advento)

SAUDAÇÃO INICIAL E AVISOS COMUNITÁRIOS

CANTO DE ENTRADA (PROCESSIONAL)

hino n° 238 – (238-NOVAS DE AMOR) – slides

SAUDAÇÃO TRINITÁRIA E VOTO

O = Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

C = Amém.

O = Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro?

C = O nosso socorro está em o nome do Senhor, criador dos céus e da terra.

SENTENÇA BÍBLICA PARA O TEMPO DO ADVENTO

O = Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Perto está o Senhor.

C = Amém. Maranata! Vem, Senhor Jesus!

DOXOLOGIA

hino n° 015 – (15-DOXOLOGIA) – slides

COLETA INTRODUTÓRIA (oração em favor do culto)

CHAMADA À CONTRIÇÃO

SUMÁRIO DA LEI

O = Escutai o que diz o nosso Senhor Jesus Cristo: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a Lei e os Profetas.

O = Senhor, tem misericórdia de nós.

C = Cristo, tem misericórdia de nós.

O = Senhor, tem misericórdia de nós.

CANTO DE CONTRIÇÃO

hino n° 079 – (72-PURIFICAÇÃO) – slides

CONFISSÃO PÚBLICA DE PECADOS

M = Irmãos, que cada um de vós apresente a si mesmo perante o Senhor, fazendo confissão de seus pecados e transgressões, seguindo em seu coração as minhas palavras:

Senhor Deus, Pai Eterno e Todo-Poderoso; nós reconhecemos e confessamos perante tua santa majestade que somos miseráveis pecadores; concebidos e nascidos em culpa e corrupção, tendentes a fazer o mal e incapazes de qualquer bem; que, por causa de nossa depravação, transgredimos sem cessar os teus santos mandamentos.

Nós, portanto, atraímos para nós mesmos, por tua justa sentença, condenação e morte. Porém, ó Senhor, com coração quebrantado e contrito nos arrependemos e deploramos nossas transgressões; nós condenamos a nós mesmos e nossos maus caminhos, com verdadeira penitência implorando que tua graça venha trazer alívio a nossa aflição.

Compraz-te, portanto, em ter compaixão de nós, ó mui gracioso Deus e Pai de todas as misericórdias, por amor de teu Filho Jesus Cristo, Nosso Senhor.

E, removendo de nós toda culpa e impureza, concede-nos que cresçamos a cada dia na graça de teu Santo Espírito, de modo que, reconhecendo no mais íntimo de nossos corações a nossa própria falta de retidão, sejamos tocados de contrição que resulte em verdadeiro arrependimento; e que teu Espírito, mortificando todo o pecado dentro em nós, produza assim frutos de santidade e de retidão que sejam agradáveis aos teus olhos. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor.

C = Amém

ABSOLVIÇÃO

M = Nosso Deus de bondade e de misericórdia, que entregou o seu Filho para perdão dos nossos pecados, promete-o aos que os confessarem com arrependimento e fé. Assim sendo, que o Senhor tenha misericórdia de vós, perdoe os vossos pecados e vos conduza no caminho caminho para a vida eterna.

C = Amém

 

CANTO DE REDENÇÃO

hino n° 236 – (236-EM LINDA NOITE) – slides

Liturgia da Palavra

COLETA DO DIA

O = O Senhor esteja convosco.

C= Seja também contigo.

O = Oremos […]

C = Amém.

PRIMEIRA LEITURA

O ou L =  A Palavra do Senhor conforme o Livro do profeta Isaías, capítulo 35, versos 1 ao 10.

(leitura)

O ou L = Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus.

SALMO

Lc 1.46-55 ou cantado Cântico de Maria – (Cântico de Maria) – slides /ou Salmo 146.5-10 ou cantado S.R. 146 – (Salmo 146) – slides

GLÓRIA PATRI (hino n° 005) – (05-TRINDADE ADORADA) – slides

SEGUNDA LEITURA

O ou L = A Palavra do Senhor conforme a Epístola de São Tiago, capítulo 5, versos 7 ao 10.

(leitura)

O ou L =  Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus

ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO

hino n° 371– (371-A BÍBLIA) – slides

O ou L = O Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo relato de São Mateus, apóstolo e evangelista, capítulo 11, versos 2 ao 11.

C = Glória ao Senhor agora e para sempre!

(Leitura do Evangelho)

O ou L = O Evangelho é o poder de Deus para Salvação.

C = Glória a Ti Senhor!

ORAÇÃO POR ILUMINAÇÃO (ao final desta oração segue-se a Oração Dominical caso não haja celebração da Ceia ou Batismo)

O = […] em nome de Jesus Cristo que nos ensinou a orar dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

SERMÃO

CANTO PRÓPRIO

hino n° 228 – (228-DE DEUS O UNGIDO) – slides

CONFISSÃO DE FÉ

Credo Niceno-Constantinopolitano

T= Creio em um só Deus, o Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis.

Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, o Filho unigênito de Deus, gerado do Pai antes de todas as eras: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado; da mesma substância do Pai. Por ele, todas as coisas foram feitas. E por nós, os homens, e para a nossa salvação, desceu dos Céus e se encarnou, pelo Espírito Santo, no seio da virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos, padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos Céus, onde está sentado à Direita do Pai. De novo há de vir em sua glória para julgar os vivos e os mortos, e o seu Reino não terá fim.

Creio no Espírito Santo, o Senhor e doador da vida, que procede do Pai e do Filho, e com o Pai e o Filho é adorado: Ele, que falou pelos profetas.

Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para a remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.

ORAÇÃO DOS FIÉIS – (caso não haja celebração da Ceia do Senhor ou do Santo Batismo, segue-se para os ritos finais).

Liturgia dos Sacramentos

SAUDAÇÃO DA PAZ

O = A paz do Senhor seja sempre convosco!

C = Seja também contigo.

O = Saudemo-nos com a paz do Senhor.

CONVITE A AÇÃO DE GRAÇAS E OFERTÓRIO

hino n° 059 – (59-GRATIDÃO) – slides

PREPARAÇÃO DA MESA E CONSAGRAÇÃO DAS OFERTAS

A GRANDE ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

Diálogo e Sursum Corda

M = O Senhor esteja convosco.

C = E também contigo.

M = Elevemos os corações.

C = Ao Senhor os elevamos.

M = Damos graças ao Senhor nosso Deus.

C = Pois fazê-lo é justo e bom.

PREFÁCIO EUCARÍSTICO

M =  Pois, pelas palavras dos Profetas, tu prometeste ao teu povo o Redentor, e desta esperança pelo dia em que a justiça virá como as águas, e a retidão como um rio perene. Nós nos regozijamos pois, em Jesus Cristo, teu Filho, Nosso Senhor, veio a nós o Salvador, e novamente virá em seu poder e glória para tornar novas todas as coisas. Portanto, com os Anjos e os Arcanjos, com os Patriarcas e os Profetas, com os Santos Apóstolos, os Mártires e os Doutores da Igreja, e com teus eleitos de todas as eras e lugares, unimos nossas vozes ao coro celestial, que não cessa de louvar teu nome, cantando:

T = Santo, santo, santo é o Senhor, Deus dos exércitos; toda a terra está cheia da tua glória.

M = Hosana nas alturas!

C = Bendito o que vem em nome do Senhor!

T = Hosana nas maiores alturas!

Ou pode ser cantado o hino n° 012 – (12-GLÓRIA À DEUS) – slides

ANAMNESE

M = Toda a glória e ação de graças sejam dadas a ti, ó Senhor, Deus Todo-Poderoso, pois tu, em tua terna misericórdia, enviaste teu único Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, para sofrer a morte sobre a Cruz para a nossa redenção, oferecendo, de uma vez por todas, sacrifício perfeito e suficiente para o perdão de pecados de toda a humanidade. Graças de damos ainda  pois, estando à véspera de se entregar para a nossa salvação, o Senhor instituiu o Sacramento do Pão e do Vinho, para que celebrássemos a comunhão de seu Corpo e Sangue, em memória de seu sacrifício, o qual agora nos achegamos à tua Santa Mesa para celebrar.

A INSTITUIÇÃO, A FRAÇÃO DO PÃO E A CONSAGRAÇÃO DO CÁLICE.

M = Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, o partiu e disse: isto é o meu corpo, que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

M= Por semelhante modo, depois de haver dado ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

A EPÍCLISE

M = Envia sobre nós, Senhor, o teu Santo Espírito, e santifica estas ofertas de pão e vinho, de modo que ao participarmos da tua Santa Ceia, cumpra-se a tua bendita Palavra, e partilhemos verdadeiramente da comunhão do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O MISTÉRIO DA FÉ

M = Pois nisto consiste o mistério da nossa fé, o motivo da nossa esperança:

T = Todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos a morte e a ressurreição do Senhor, até que ele venha.

ORAÇÃO DO SENHOR

M = E confiados nesta fé, nós oramos como nosso Senhor nos ensinou, dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

DOXOLOGIA FINAL E AMÉM

M = Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a ti, Deus Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, sejam dadas toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

C = Tríplice Amém.

COMUNHÃO DO PÃO E DO CÁLICE

M = O pão que partimos é a comunhão do Corpo de Cristo.

C = Amém.

M = O cálice que abençoamos é a comunhão do Sangue de Cristo.

CANTO DA COMUNHÃO

hino n° 342 – (342-COMUNHÃO) – slides

ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS PELA COMUNHÃO

Ritos Finais ou Liturgia de Despedida e Envio

ORAÇÃO PASTORAL DE ENVIO e BÊNÇÃO

M = A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós. E assim abençoe-vos o Deus Todo-Poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, hoje e por todo o sempre.

C = Quádruplo Amém

CANTO DE ENVIO

hino n° 400 – (400-ORAÇÃO POR PROTEÇÃO) – slides

POSLÚDIO (hino n° 104) E RECESSIONAL

O = Ide em paz, para serdes testemunhas de Jesus Cristo, e que o Senhor vos abençoe e vos acompanhe.

C= Graças a Deus! 

Liturgia extraída do Manual do Culto – Ordem para o Culto Público, Rito 1 (Sociedade Pela Liturgia Reformada).

Culto Dominical – II Domingo do Advento – Ano A

Modelo de culto para o segundo domingo do Advento – ano A.

 

(O = Oficiante C = Congregação = Todos L = Leitor M = Ministro)

Ritos Iniciais ou Liturgia da Acolhida

SINOS ou PRELÚDIO MUSICAL ou INTRÓITO CANTADO

– hino n° 230 – (230-ADORAÇÃO) slides

SAUDAÇÃO INICIAL E AVISOS COMUNITÁRIOS

 

CANTO DE ENTRADA (PROCESSIONAL)

– hino n° 235 – (235-O ANJO DA PAZ) slides

 

SAUDAÇÃO TRINITÁRIA E VOTO

O = Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo

C = Amém.

O = Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro?

C = O nosso socorro está em o nome do Senhor, criador dos céus e da terra.

 

SENTENÇA BÍBLICA PARA O TEMPO DO ADVENTO

O = Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Perto está o Senhor.

C = Amém. Maranata! Vem, Senhor Jesus!

 

DOXOLOGIA

– hino n° 006 – (06-DOXOLOGIA) – slides

 

COLETA INTRODUTÓRIA (oração em favor do culto)

 

CHAMADA À CONTRIÇÃO

 

SUMÁRIO DA LEI

O = Escutai o que diz o nosso Senhor Jesus Cristo: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a Lei e os Profetas.

O = Senhor, tem misericórdia de nós.

C = Cristo, tem misericórdia de nós.

O = Senhor, tem misericórdia de nós.

 

CANTO DE CONTRIÇÃO

– hino n° 069 – (69-SÚPLICA) – slides

 

CONFISSÃO PÚBLICA DE PECADOS

Confessamos a ti, ó Deus Todo-Poderoso, perante vós, nossos irmãos, e toda a companhia dos céus, que temos pecado excessivamente, contra ti, contra nosso próximo e contra nós mesmos, por nossas ações, por nossa omissão, em nossas palavras ou em nossos pensamentos; por nossa culpa, nossa própria culpa, nossa tão grande culpa. Rogamos-te, ó Deus, que nos conceda verdadeiro arrependimento e, por amor do teu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, perdoa-nos os pecados e dá-nos a graça de te servirmos com alegria, para a honra e glória do teu santo nome, amém.

 

CONFISSÃO INDIVIDUAL SILENCIOSA

 

O = Nosso Deus de bondade e de misericórdia, que entregou o teu Filho para perdão de nossos pecados, promete-o aos que os confessarem com arrependimento e fé. Assim sendo, que o Senhor tenha misericórdia de vós, perdoe os vossos pecados e vos conduza para a vida eterna.

C = Amém.

 

CANTO DE REDENÇÃO

– hino n° 234 – (234-UM PEQUENO A REPOUSAR) – slides

Liturgia da Palavra

COLETA DO DIA

O = O Senhor esteja convosco.

C= Seja também contigo.

O = Oremos […]

C = Amém.

 

PRIMEIRA LEITURA

O ou L =  A Palavra do Senhor conforme o Livro do profeta Isaías, capítulo 11, versos 1 ao 10.

O ou L = Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus.

 

SALMO

72.1-7, 18-19. Ou cantado 72 – (Salmo 72) – slides

 

GLÓRIA PATRI (hino n° 005) – (05-TRINDADE ADORADA) – slides

 

SEGUNDA LEITURA

O ou L = A Palavra do Senhor conforme a Epístola de São Paulo aos Romanos, capítulo 15, versos 4 ao 13.

O ou L =  Palavra do Senhor.

C = Graças a Deus

 

ACLAMAÇÃO DO EVANGELHO

– hino n° 370 – (370-PROCLAMAÇÃO) – slides

O ou L = O Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo relato de São Mateus, apóstolo e evangelista, capítulo 3, versos 1 ao 13.

C = Glória ao Senhor agora e para sempre!

(Leitura do Evangelho)

O ou L = O Evangelho é o poder de Deus para Salvação.

C = Glória a Ti Senhor!

 

ORAÇÃO POR ILUMINAÇÃO (ao final desta oração segue-se a Oração Dominical caso não haja celebração da Ceia ou Batismo)

O = […] em nome de Jesus Cristo que nos ensinou a orar dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

 

SERMÃO

 

CANTO PRÓPRIO

– hino n° 227 – (227-A VELHA HISTÓRIA) – slides

 

CONFISSÃO DE FÉ

Credo Apostólico

T = Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso Criador do Céu e da Terra.

Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, o qual foi concebido por obra do Espírito Santo; nasceu da virgem Maria; padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu ao Hades; ressurgiu dos mortos ao terceiro dia; subiu ao Céu e está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso, de onde há de vir para julgar os vivos e os mortos.

Creio no Espírito Santo; na Santa Igreja universal; na comunhão dos santos; na remissão dos pecados; na remissão dos pecados; na ressurreição do corpo; na vida eterna. Amém.

 

ORAÇÃO DOS FIÉIS – (caso não haja celebração da Ceia do Senhor ou do Santo Batismo, segue-se para os ritos finais).

 

Liturgia dos Sacramentos

SAUDAÇÃO DA PAZ

O = A paz do Senhor seja sempre convosco!

C = Seja também contigo.

O = Saudemo-nos com a paz do Senhor.

 

CONVITE A AÇÃO DE GRAÇAS E OFERTÓRIO

– hino n° 060 – (60-OFERTÓRIO) – slides

 

PREPARAÇÃO DA MESA E CONSAGRAÇÃO DAS OFERTAS

 

A GRANDE ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

Diálogo e Sursum Corda

M = O Senhor esteja convosco.

C = E também contigo.

M = Elevemos os corações.

C = Ao Senhor os elevamos.

M = Damos graças ao Senhor nosso Deus.

C = Pois fazê-lo é justo e bom.

 

PREFÁCIO EUCARÍSTICO

M =  Pois, pelas palavras dos Profetas, tu prometeste ao teu povo o Redentor, e desta esperança pelo dia em que a justiça virá como as águas, e a retidão como um rio perene. Nós nos regozijamos pois, em Jesus Cristo, teu Filho, Nosso Senhor, veio a nós o Salvador, e novamente virá em seu poder e glória para tornar novas todas as coisas. Portanto, com os Anjos e os Arcanjos, com os Patriarcas e os Profetas, com os Santos Apóstolos, os Mártires e os Doutores da Igreja, e com teus eleitos de todas as eras e lugares, unimos nossas vozes ao coro celestial, que não cessa de louvar teu nome, cantando:

T = Santo, santo, santo é o Senhor, Deus dos exércitos; toda a terra está cheia da tua glória.

M = Hosana nas alturas!

C = Bendito o que vem em nome do Senhor!

T = Hosana nas maiores alturas!

Ou pode ser cantado o hino n° 012 – (12-GLÓRIA À DEUS) – slides

 

ANAMNESE

M = Toda a glória e ação de graças sejam dadas a ti, ó Senhor, Deus Todo-Poderoso, pois tu, em tua terna misericórdia, enviaste teu único Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, para sofrer a morte sobre a Cruz para a nossa redenção, oferecendo, de uma vez por todas, sacrifício perfeito e suficiente para o perdão de pecados de toda a humanidade. Graças de damos ainda  pois, estando à véspera de se entregar para a nossa salvação, o Senhor instituiu o Sacramento do Pão e do Vinho, para que celebrássemos a comunhão de seu Corpo e Sangue, em memória de seu sacrifício, o qual agora nos achegamos à tua Santa Mesa para celebrar.

 

A INSTITUIÇÃO, A FRAÇÃO DO PÃO E A CONSAGRAÇÃO DO CÁLICE.

M = Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, o partiu e disse: isto é o meu corpo, que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

M= Por semelhante modo, depois de haver dado ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança em meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.

 

A EPÍCLISE

M = Envia sobre nós, Senhor, o teu Santo Espírito, e santifica estas ofertas de pão e vinho, de modo que ao participarmos da tua Santa Ceia, cumpra-se a tua bendita Palavra, e partilhemos verdadeiramente da comunhão do Corpo e do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

 

O MISTÉRIO DA FÉ

M = Pois nisto consiste o mistério da nossa fé, o motivo da nossa esperança:

T = Todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos a morte e a ressurreição do Senhor, até que ele venha.

 

ORAÇÃO DO SENHOR

M = E confiados nesta fé, nós oramos como nosso Senhor nos ensinou, dizendo:

T = Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos os nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém.

 

DOXOLOGIA FINAL E AMÉM

M = Por Cristo, com Cristo e em Cristo, a ti, Deus Pai Todo-Poderoso, na unidade do Espírito Santo, sejam dadas toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.

C = Tríplice Amém

 

COMUNHÃO DO PÃO E DO CÁLICE

M = O pão que partimos é a comunhão do Corpo de Cristo.

C = Amém.

M = O cálice que abençoamos é a comunhão do Sangue de Cristo.

 

CANTO DA COMUNHÃO

– hino n° 341 – (341-VERA PÁSCOA) – slides

 

ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS PELA COMUNHÃO

 

Ritos Finais ou Liturgia de Despedida e Envio

CANTO DE ENVIO

– hino n° 399 – (399-TÉRMINO DO CULTO) – slides

 

A BÊNÇÃO

 

POSLÚDIO E RECESSIONAL

O = Ide em paz, para serdes testemunhas de Jesus Cristo, e que o Senhor vos abençoe e vos acompanhe.

C= Graças a Deus! 

 

Liturgia extraída do Manual do Culto – Ordem para o Culto Público, Rito 1 (Sociedade Pela Liturgia Reformada).

Adoração na Igreja Presbiteriana do Brasil

Por não possuir um Livro de Adoração oficial que regule o culto na IPB como acontece com suas congêneres norte-americanas, europeias ou mesmo brasileiras (IPIB), é possível encontrar algumas correntes divergentes de adoração dentro Igreja. Nos Princípios de Liturgia (PL), que regulamentam de forma simplificada e objetiva o culto na Igreja, pode-se ler o seguinte quanto ao propósito e os elementos do culto a Deus:

CAPÍTULO III – CULTO PÚBLICOArt.7º – O culto público é um ato religioso, através do qual o povo de Deus adora o Senhor, entrando em comunhão com Ele, fazendo-lhe confissão de pecados e buscando, pela mediação de Jesus Cristo, o perdão, a santificação da vida e o crescimento espiritual. É ocasião oportuna para proclamação da mensagem redentora do Evangelho de Cristo e para doutrinação e congraçamento dos crentes. Art.8º – O culto público consta ordinariamente de leitura da Palavra de Deus, pregação, cânticos sagrados, orações e ofertas. A ministração dos sacramentos, quando realizada no culto público, faz parte dele.

Num breve ensaio realizado pelo Rev. Christian S. Bittencourt [1], ex-professor do Seminário Teológico do Rio de Janeiro, foram identificados ao menos quatro grupos distintos que configuram as formas de adoração que podem ser encontradas na IPB. A seguir encontra-se um breve resumo de cada grupo e, em seguida, uma tabela comparativa com as práticas de cada um.

TRADICIONAIS CONSERVADORES (Old-school Conservatives)

Este grupo representa a maioria dos presbiterianos do Brasil. Sua liturgia se baseia livremente no capítulo 6 do Livro do Profeta Isaías:

Cahamada a Adoração

Confissão de Pecados

Louvor

Ofertório

Sermão

Ministração dos Sacramentos

Bênção

Empregam hinos tradicionais e músicas contemporâneas em sua liturgia. Geralmente o louvor é dirigido por um grupo musical contemporâneo ou coral. Quanto a observância de datas litúrgicas, costumam celebrar apenas Natal e Páscoa em sua maioria. Evitam o uso do Lecionário, orações escritas, credos, responsos litúrgicos e raramente os ministros usam Toga ou camisa clerical, quando o fazem não costumam usar estola.

EVANGELICAIS CARISMÁTICOS (Evangelical Charismatics)

São o segundo maior grupo e o que mais cresce dentro da IPB, seu culto assemelha-se ao das demais igrejas evangélicas contemporâneas, geralmente constituído por:

Louvor

Sermão

Ministração dos Sacramentos

Bênção

Sua liturgia é bem livre, a maioria dos outros atos são inseridos mais ou menos no chamado “momento de louvor”. Empregam músicas contemporâneas na liturgia, especialmente as que se encontram em alta no meio “gospel”. Durante os cultos há o costume de bater “palmas pra Jesus” e responder “Aleluia” e “Glória a Deus”. Há ainda comunidades que possuem grupos de dança e teatro para serem encenados durante o culto.

Algumas das práticas adotadas por esse grupo estão em desacordo com as deliberações recentes do Supremo Concílio a respeito de liturgia.

TRADICIONAIS HISTÓRICOS (Neo-orthodox Conservatives)

Constituem o terceiro grupo dentro da IPB. Defendem uma liturgia alinhada a tradicional liturgia cristã:

Ritos Iniciais

Confissão de Pecados

Absolvição

Liturgia da Palavra

Liturgia dos Sacramentos

Ritos de Envio

Empregam o uso do Lecionário, observam o calendário Litúrgico Cristão e datas da IPB, fazem amplo uso do hinário, conciliando-o com músicas contemporâneas cabíveis a liturgia. Recitam os Credos, fazem a Oração Dominical, utilizam orações escritas, antífonas, e responsos litúrgicos. Os ministros usam a Toga de Genebra com ou sem estola e/ou camisa e colarinho clerical. Esse grupo, encabeçado por jovens ministros com uma ampla formação acadêmica, defende uma liturgia mais próxima a das igrejas congêneres da IPB que possuem um Livro de Adoração, bem como da liturgia cristã histórica.

Algumas práticas desse grupo, como o uso das cores litúrgicas e paramentos como a Coroa do Advento estão em desacordo com as deliberações do Supremo Concílio, que considerou essas práticas “romanistas”.

(NEO)PURITANOS (Ultra-puritans)

Este grupo configura-se o quarto e menor grupo dentro da Igreja, porém não menos ativo. Defendem uma liturgia baseada no Diretório de Culto de Westminster:

Chamada à Adoração

Cântico dos Salmos

Leituras do Antigo Testamento e Novo Testamento

Orações de Confissão de Pecados, Intercessão e por Iluminação

Sermão

Ministração dos Sacramentos

Exortação para Viver Vidas Dignas

Oração de Ação de Graças e para uma Vida Digna

Coleta de Ofertas para os Pobres

Cântico de um Salmo

Bênção

Na liturgia puritana as mulheres não estão autorizadas a falar durante os cultos, não fazem uso de instrumentos musicais ou utilizam apenas o saltério. O canto é à capela e restrito aos salmos metrificados. Nenhuma data do calendário litúrgico é observada, nem mesmo o Natal e a Páscoa. Os ministros costumam se trajar de maneira simples e austera.

A restrição dos instrumentos e da participação das mulheres no culto também estão em desacordo com as normas do Supremo Concílio.

TABELA COMPARATIVA

Adoração na IPB

RECURSOS LITÚRGICOS

A IPB não tem liturgia oficial semelhante ao Book of Worship Comum da PC(USA). Em ocasiões mais solenes, como casamentos e funerais, quando os ministros de todos os quatro grupos litúrgicos achar que é necessário usar uma liturgia mais estruturada, eles costumam empregar um dos três recursos:

  • Manual de Culto, uma compilação não-oficial de ordens de serviço feito pelo Rev. Modesto Carvalhosa de Perestrello para servir como um guia para líderes leigos no início do século 20, publicado pela Editora Cultura Cristã.
  • Manual Litúrgico, uma expansão do Manual de Culto com formas alternativas e leituras bíblicas.
  • O Manual de Culto da Igreja Presbiteriana Independente, que é uma tradução abreviada do Livro de Culto Comum da PC(USA) 1993.

Quando o Tradicional Encontra o “Contemporâneo” e Vice-Versa

Antes de iniciar meus pensamentos gostaria de esclarecer o porquê das aspas. Utilizei aspas porque o termo correto seria “carismático”, mas talvez causasse conflito no título e o tornasse menos interessante. Isto posto, vamos ao encontro.
Hoje participei de um culto numa IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil, para quem não está familiarizado com a sigla) de viés carismático. Louvorzão, vários cantores, músicas contemporâneas bem espiritualizadas, de tom bem alto, “palmas pra Jesus” e outros costumes que caracterizam esses irmãos, alguns dos quais estão em desacordo com as normas do Supremo Concílio da igreja (calma! Não deixe de ler aqui, não estou criticando). Confesso que foi difícil para mim que sou tradicional, haja visto a empreitada que iniciei com esse blog, participar do “momento de louvor”, o famoso bloco de cânticos do culto antes do sermão. A todo momento minha mente buscava uma ordem litúrgica que não estava presente, especialmente durante o “momento de louvor”. Isso acabou tirando minha concentração do culto; a todo tempo pedia a Deus que me ajudasse a me concentrar, já que a minha procura esbarrava em muitas críticas mentais ao que estava acontecendo, pois o culto é para Ele e eu devia me concentrar nisso, mas foi deveras difícil (o mesmo que deve sentir um irmão carismático ao participar de um culto tradicional).O sermão também pendeu para o lado carismático, embora trouxesse uma mensagem concisa. No culto ainda celebrou-se a Ceia, momento que alternava tradição presbiteriana com características carismáticas, isto é, o louvor, excessivamente repetitivo.Durante o culto me senti de certa forma bem frio, me perguntando o porquê não conseguia adorar como o irmão do lado, que levanta as mãos, aplaudia com força e dava até uns pulinhos. Me senti mal em alguns momentos. Após o culto voltei para casa caminhando e pensando em tudo isso… Deus falou comigo esta noite!

Quando o tradicional encontra o carismático sai farpas! Mas Deus me mostrou que é preciso ter muita sabedoria. Neste diálogo que costuma suscitar acusações de “frios” e “quentes”, “fúnebres” e “pentecas” e por aí vai, precisamos entender que há a intenção de adorar a Deus. Continuo defendendo que uma liturgia bem estruturada, que nos chame ao arrependimento, confissão, adoração, edificação, comunhão e nos prepare para o mundo, é mais saudável para o cristão, pois emoções são momentâneas, mas o que se aprende permanece em nós, e uma liturgia tradicional cumpre esse objetivo quando prestada de coração. Mas percebi que devemos ter paciência e estar prontos para ouvir o outro lado, pois há coisas que podemos aprender. A alegria desse tipo de culto pode ser trazida para os responsos litúrgicos e hinos tradicionais. Assim como um direcionamento litúrgico cuidadoso, torna um culto carismático objetivo em seu propósito de adorar a Deus de forma racional em Espírito e em verdade. Nesse diálogo, quando o tradicional encontra o carismático e vice-versa, é possível aprender mutuamente e ensinar mutuamente, sem julgamentos, pois Deus é quem nos julgará, precisamos ter paciência e pedir a Deus que nos ilumine para que Ele seja adorado.

Continuo a defender que um culto tradicional, mais coerente com aquilo que confessamos, é mais saudável a uma IPB, pois assim há compatibilidade entre o cremos e o confessamos, entre o que se aprende na EBD e se fala/louva no culto, mas aprendi que durante o culto a Deus, seja ele de qualquer viés, é preciso pedir a Ele que nos ajude a adorá-lo em verdade, porque o mais emocionalista dos cultos e o mais altamente litúrgico deles, se não for prestado de coração, é feito em vão!

Deus é adorado pelos que o louvam com amor, em Espírito e em verdade; o que defendo é, que pela liturgia tradicional, além de louvarmos a Deus, saímos muito bem doutrinados e preparados do culto. Deus nos ajude, Soli Deo Gloria!

William de Almeida Santos